quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Por que algumas pessoas não têm orgasmo?


Mesmo com toda a liberação sexual e informação circulante que existe, muitas pessoas ainda tem muitas dúvidas e pudores quanto ao sexo e nunca experimentaram um orgasmo. A maioria dessas pessoas são as mulheres. Muitas vezes, elas não sabem bem o que é um orgasmo. Mas será que isso é um problema orgânico, psicológico ou social?

“Não ter orgasmo na grande maioria das vezes tem causas psicológicas e também contribui muito as influências sócio-culturais”, explica o sexólogo Joaquim Nascimento. Causas orgânicas podem existir, mas são bem mais raras.

O nosso meio sócio-cultural sempre foi castrativo, principalmente para as mulheres. Os homens sempre tiveram uma liberdade maior quando se fala em sexualidade e a mulher foi historicamente mais reprimida nesse assunto. A sexualidade sempre foi e ainda continua sendo cheia de muitos tabus e preconceitos, por conta de fatores principalmente religiosos e culturais. Masturbação, sexo antes do casamento, sexo oral e outros ainda são assuntos que algumas pessoas consideram proibidos.

O psicólogo Eduardo Guimarães explica: “De maneira geral, podemos afirmar que os fatores que levam à dificuldade ou ausência de orgasmo são vários, tais como: fobias, sintomas neuróticos, educação repressiva, medo, ansiedade, angústia, dificuldade de relação com o parceiro, sentimento de culpa ou nojo com o próprio corpo ou com o sexo e todo tipo de emoções negativas que foram produzidas ao longo da vida como vaidade excessiva, superproteção ou abandono, rigidez excessiva no controle ou leviandade no estabelecimento de limites para os filhos, ou ainda, abusos e violências sofridas. Todos esses elementos devem ser considerados nesse caso”.

“Resultado: uma alta porcentagem de mulheres é dotada de vários tipos de inibições sexuais, entre os quais está principalmente a falta de orgasmo e de desejo sexual”, diz Joaquim. O fato das pessoas desconhecerem o próprio corpo e não explorarem sua sexualidade também contribui para a ausência de orgasmo.

Apesar do orgasmo ser considerado o ponto máximo do prazer, ele não é imprescindível nas relações. Nos corpos do homem e da mulher existem zonas erógenas, que, ao serem estimuladas, garantem intenso prazer que não o orgasmo. O mais importante é que o casal esteja entrosado, se respeite mutuamente e busque proporcionar prazer aos dois com a relação, mesmo não acontecendo orgasmo.


fonte:tommasi saúde

2 comentários: